Mais um gestor das cadeias moçambicanas acaba de recolher às celas por facilitar a fuga de reclusos. De acordo com o Serviço Nacional Penitenciário (SERNAP), o Director da Cadeia Distrital de Guro, província de Manica, foi condenado a 1 ano de prisão e 4 meses de multa por estar a liderar um esquema de facilitação de fuga de reclusos naquele ponto do país. Com ele também recolheu aos calabouços um guarda penitenciário, que foi condenado a 1 ano de prisão e 2 meses de multa.

 

Segundo o porta-voz do SERNAP, Clemente Intsamuele, para além de facilitar a fuga de reclusos, o referido Director, cujo nome não foi revelado, fazia cobranças ilícitas a familiares de um recluso, como forma de facilitar a sua fuga. Como consequência, foi destituído do cargo e encontra-se, igualmente, a responder a um processo disciplinar.

 

Já na província da Zambézia, o SERNAP revela ter registado a fuga de três reclusos, do Estabelecimento Penitenciário Provincial, no passado dia 17 de Outubro. “Diligências feitas pelo Estabelecimento Penitenciário Provincial da Zambézia resultaram na captura de um dos reclusos no dia 18 de Outubro, no distrito de Mocuba. Por haver indícios de facilitação de fuga, estão em curso procedimentos disciplinares e criminais contra 10 agentes da guarda, afectos ao estabelecimento”, revelou.

 

Para além de instaurar processos disciplinares e criminais aos guardas e gestores penitenciários por esquemas de corrupção, o SERNAP diz também ter instaurado processos disciplinares aos condutores das duas viaturas da instituição que se envolveram em acidente de viação, em Novembro passado na cidade de Maputo. Intsamuele disse que, do inquérito feito, se concluiu que os condutores não observaram as regras de trânsito.

 

Refira-se que esta não é a primeira vez em que guardas penitenciários são detidos por facilitar fuga de reclusos. Em 2018, por exemplo, o Tribunal Judicial da Cidade da Beira condenou um guarda prisional a 8 anos de prisão, por se ter provado o seu envolvimento na fuga de 17 reclusos, na Cadeia Central da Beira. (Marta Afonso)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.