Opções chegam a custar R$ 26 mil por diária na época dos jogos. Opção de quarto em navio custa cerca de R$ 1.800 por dia
Reprodução
Uma das maiores dificuldades para quem quiser ir à Copa do Mundo no Catar neste ano é encontrar hospedagem. Como não há hotéis suficientes no país para receber todo o público, foram criadas alternativas, como quartos em navios de cruzeiro e até tendas em campings no deserto. O improviso custa caro: os preços para novembro e dezembro estão altíssimos.
Compartilhe esta reportagem no Whatsapp
Compartilhe esta reportagem no Telegram
Como o país tem pequenas dimensões territoriais, e os oito estádios estão localizados próximos uns dos outros (praticamente todos na capital Doha e arredores), a concentração de turistas no mesmo lugar será grande.
São esperados cerca de 1 milhão de estrangeiros no Catar durante o torneio, sendo metade deste número na fase de grupos.
‘Fan Village’ funciona como um acampamento árabe
Reprodução
LEIA TAMBÉM:
Brasileiros querem recorde no Guinness de casal mais jovem a visitar o mundo inteiro
Portugal aprova acordo que vai facilitar entrada de brasileiros no país
Soluções improvisadas
‘Cabines’ na Copa custam mais de R$ 1 mil por dia
Reprodução
De acordo com o órgão de turismo Catari, o país conta com 30 mil quartos de hotéis, mas mais da metade já está reservada pela Fifa para hospedar as seleções, árbitros, imprensa, dirigentes e convidados oficiais.
Com a criação de acomodações alternativas e provisórias, a expectativa é que o Catar chegue a cerca de 100 mil quartos disponíveis. Mas apesar do discurso positivo dos organizadores, a questão da hospedagem é um problema a ser encarado nesta Copa.
“Em termos de acomodação, (…) há quartos de hotéis cinco estrelas até duas estrelas e instalações em acomodações temporárias, por exemplo, temos os navios de cruzeiros, que ficarão ancorados no porto de Doha como opção de um hotel flutuante. Então, os torcedores podem reservar lá um quarto para o torneio”, afirmou Nasser Al Khater, CEO do Comitê Organizador Catar 2022.
Uma plataforma oficial foi criada para reservas de acomodação na internet. Além de hotéis, a lista conta com apartamentos para aluguel, tendas em campings, cabines provisórias em vilas para torcedores e quartos em dois navios que ficarão ancorados.
Existem diversos lugares luxuosos, outros mais modestos, mas mesmo as poucas opções mais econômicas estão caríssimas. Neste momento, a diária mais barata não sai por menos de R$ 600 — há hotéis que estão custando até R$ 26 mil (veja foto abaixo).
Hotel mais caro disponível na plataforma tem diária de mais de R$ 25 mil
Reprodução
Para entrar no país durante a competição, será necessário apresentar uma confirmação de acomodação.
Obras não foram suficientes
O Catar passou por várias obras desde que foi escolhido como sede da Copa do Mundo, em 2010, e muita coisa nova foi construída. Para amenizar o problema de hospedagem, o brasileiro Perkison Souza, que mora no país, destacou a construção de uma cidade inteira na região onde foi erguido o principal estádio do Mundial, além do sistema de transporte.
“Existe uma cidade aqui ao lado de Doha que se chama Lusail, e ela tem uma estrutura hoteleira que está sendo construída do zero. É uma cidade que foi levantada do zero, justamente para aumentar a capacidade de acomodação. E também tem a parte logística, porque todos os estádios são interligados pelo metrô. Então este é o primeiro país onde as pessoas vão poder se locomover entre os estádios durante o dia, você pode assistir a até três jogos no mesmo dia. Acho que isso é incrível para um país de Copa do Mundo”, disse Perkison.
O estádio Lusail, com capacidade para 80 mil torcedores, que será palco da final da Copa em 18 de dezembro, foi feito em uma área onde antes não havia quase nada. Ao redor dele, uma nova cidade com 38 km2, também com o nome de Lusail, está sendo finalizada a 20 km de distância de Doha, com zonas residenciais, comerciais, de entretenimento, marina, praia e 22 novos hotéis.
Os altos preços do Catar, principalmente de hospedagem, mas também de outros custos do dia a dia, como voos e alimentação, devem fazer com que a Copa de 2022 seja uma das mais caras. Como há restrição de bebidas alcoólicas no país, o preço deste item é ainda mais alto.
Na média, um copo de 500 ml de cerveja custa a partir de R$ 60, nos bares licenciados, que ficam dentro de grandes hotéis internacionais.
Apesar disso, de acordo com comunicado oficial divulgado pela Fifa em agosto, 2,45 milhões de ingressos para os jogos já foram vendidos, para 64 partidas, envolvendo 32 seleções. Quem mais comprou os bilhetes até agora foram torcedores do Catar, Estados Unidos, Inglaterra, Arábia Saudita, México, Emirados Árabes, França, Argentina, Brasil e Alemanha.
O Mundial começa no dia 20 de novembro e termina em 18 de dezembro.
Vídeos
Até o álbum da Copa do Catar está mais caro:
Completar o álbum da copa do mundo do Catar vai custar o dobro da última copa



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.