A subida geral de preços de bens e serviços (inflação) aumentou consideravelmente nos últimos a 12 meses, atingindo em Outubro 4,75 por cento, facto que aumenta o custo de vida, a escassos dias da quadra festiva, período do ano em que os preços disparam ainda mais. Os dados sobre a inflação foram divulgados há dias pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

A subida do nível geral de preços é influenciada pela divisão de alimentação e bebidas não alcoólicas que foi a de maior destaque, ao contribuir no total da variação mensal com cerca de 0,21 pontos percentuais (pp) positivos.

 

Analisando a variação mensal por produto, é de destacar o aumento de preços do peixe fresco (1,7%), do limão (61,9%), dos ovos frescos de galinha (11,1%), do tomate (1,0%), do arroz em grão (1,3%), do carapau (0,9%) e da cerveja para o consumo fora de casa (1,0%). Estes contribuíram no total da variação mensal com cerca de 0,21pp positivos.

 

No entanto, alguns produtos com destaque para a cebola (2,9%), o amendoim (1,7%), o óleo alimentar (0,7%), o camarão seco (4,3%), a alface (2,8%), as t-shirts ou camisetes para homens (4,5%) e o corte de cabelo e barba (1,7%), contrariaram a tendência de aumento de preços, ao contribuírem com cerca de 0,07pp negativos no total da variação mensal.

 

De acordo com os dados do INE, até Outubro, os preços em Moçambique subiram 2,75 por cento desde o início de 2023 e a inflação mensal média dos últimos 12 meses caiu para 8,07 por cento.

 

Analisando a variação mensal pelos centros de recolha, que serviram de referência para a variação de preços do país, o INE notou que em Outubro findo, houve uma subida do nível geral de preços na Cidade de Xai-xai (1,32%), na Província de Inhambane (0,54%), nas Cidades de Nampula (0,51%), de Tete (0,36%), de Chimoio (0,35%), de Quelimane (0,27%), da Beira (0,24%) e de Maputo (0,21%). (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *