A CONFEDERAÇÃO das Associações Económicas de Moçambique (CTA) deseja continuar a aprofundar as relações com a TotalEnergies, para reforçar o conteúdo local, no projecto Mozambique LNG.

Esta posição é assumida num cenário de incertezas nas perspectivas de regresso, a breve trecho, da petrolífera francesa ao projecto da fábrica de liquefacção de gás na Área 1 da bacia do Rovuma, em Palma.

Foi, aliás, neste contexto que o presidente do Conselho Empresarial de Cabo Delgado defendeu, há dias, a saída em definitivo da multinacional francesa.

Entretanto, a CTA considera que, dada a dimensão do investimento no projecto da Área 1, cerca de 20 mil milhões de dólares norte-americanos, aguarda o regresso da TotalEnergies, atendendo ao seu impacto na estabilização das contas públicas e captação de receitas para os programas de desenvolvimento.

Leia mais…

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *