O INSTITUTO Nacional de Saúde (INS) vai alargar a sua capacidade de diagnóstico da Covid-19 e de outras patologias, mercê do apoio técnico ontem doado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Agência britânica de Ajuda Internacional (UKAID).

Trata-se de uma máquina denominada PCR,da sigla inglesa Polymerase Chain Reaction, técnica utilizada na biologia molecular para amplificar uma única cópia ou algumas cópias de um segmento de DNA em várias ordens de grandeza, gerando milhares a milhões de cópias de uma determinada sequência deste ácido de…..DNA.

Com o novo aparelho ontem entregue na sede do INS, a capacidade de testagem passará das actuais 1600 amostras diárias para 2000, o que representa um incremento de 20 por cento, tal como fez menção o directo- geral desta instituição, Ilêsh Jani.

Para efectuar o processamento das amostras para o despiste da Covid-19, o INS, a nível central, usa a técnica PCR que exige infra-estrutura adequada, recursos humanos especializados e equipamento sofisticado à semelhança do termociclador, ontem recebido.

Ilêsh Jani disse, após a entrega do aparelho, que um dos desafios do INS é a descentralização da capacidade de diagnóstico, através da criação de condições para o efeito, em todas as províncias do país.

A cidade da Beira, em Sofala, será o próximo ponto do país a contar com um laboratório de saúde pública, ainda este ano. Jani referiu que até ao fim do primeiro semestre do próximo ano, a aposta é ampliar a capacidade de testagem com base na tecnologia de PCR nas cidades de Tete, Quelimane e Inhambane.

“Depois de Cabo Delgado e Nampula, que já têm laboratório com capacidade de testagem com base em PCR, estamos neste momento a trabalhar no sentido de instalar um laboratório de saúde pública”, disse Ilêsh Jani. Leia mais

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.