Sindicato pede a liberalização da tarifa de transporte

Num contexto em que algumas empresas estão a despedir trabalhadores devido à situação económica difícil que o país atravessa, a Confederação Nacional dos Sindicatos Independentes e Livres de Moçambique (CONSILMO) defende que a solução passa pelo Governo reajustar os contratos celebrados com os empreiteiros para que estes não sejam obrigados a reduzir a mão-de-obra.

“O Governo deve rever os contratos de empreitadas já celebrados com empreiteiros, na perspectiva de assegurar que estes possam no âmbito da desvalorização do metical, ocorrido de forma progressiva de 2014 a 2016, beneficiar de ajustamentos para continuarem os projectos em curso e assim contribuir para evitar que as empresas possam entrar em falência, devido à crise económica e financeira que se abate sobre elas”, disse o secretário-geral da CONSILMO, Jeremias Timana.

Timana acrescentou que é da vontade do sindicato que o Governo faça a liberalização da tarifa de transporte para que actividade seja rentável.

“Recomendamos ao Governo que considere a possibilidade da liberação dos preços dos transportes, em função dos custos operacionais, conforme modelos existentes e consolidados nos outros países. Recomendamos ainda que se criem mecanismos que incentivem a manutenção e assistência técnica de viaturas no país”.

A congregação defende ainda a privatização das empresas EDM, LAM, PETROMOC, entre outras, para que voltem a tornar-se rentáveis. O Sindicato deplorou, por outro lado, as condições precárias em que trabalham alguns colaboradores de empresas de segurança no país.

 

 


Fonte: O Pais -Economia

Leave a Reply

Your email address will not be published.