II congresso agendado para Dezembro de 2017

A Comissão Política do MDM, segundo maior partido político da oposição nacional, está desde ontem reunida na cidade de Nampula, na sua VIª sessão ordinária.

Até ao final de hoje, aquele órgão magno do partido vai passar em revista a situação político-económica e social do país, bem como deliberar sobre as matérias que vão ser levadas à apreciação e discussão no II Congresso do partido, agendado para 5 a 8 de Dezembro próximo, na cidade de Nampula.

Na sua chegada a Nampula (sábado), Daviz Simango foi recebido por uma grande comitiva constituída por simpatizantes e membros do partido, com quem percorreu um percurso considerável da cidade, entoando cânticos de triunfo.

O líder do “partido do galo” considera a sessão em curso importante, tendo em conta que este é um ano “especial para o partido”.

“Teremos como agenda o II Congresso, vamos avaliar a situação política do país e, naturalmente, vamos avaliar aquilo que é a matriz do partido”, disse Simango, em conferência de imprensa, apontando a digitalização e informatização como parte das preocupações que deverão ser afloradas.

De acordo com Simango, com o calendário das eleições autárquicas de 2018 à vista, a Comissão Política do MDM vai “definir as directrizes” daquilo que pretende oferecer ao país durante os próximos pleitos eleitorais.

Homenagem às vítimas do Dineo

À margem da reunião da Comissão Política, o MDM prestou homenagem às vítimas do ciclone Dineo e deixou algumas críticas sobre alguma imprudência relativamente às crianças em idade escolar. “Manifestamos a nossa solidariedade. Sabemos que há vítimas, não só em Inhambane, assim como em Massinga. a grande preocupação que eu tenho é que há crianças que saíam da escola e acabaram por ser colhidas por esse vendaval”, disse Simango, deixando críticas às autoridades. “Houve falta de cuidado em criar condições para que essas crianças não fossem à escola”, referiu.

 


Leave a Reply

Your email address will not be published.