O gestor, que conduziu serenamente o leme do SB depois da ida de António Coutinho para Angola, está de saída do banco. A assembleia geral de accionistas reúne a 30 de Agosto para deliberar sobre dois pontos de peso: a exoneração de membro do Conselho de Administração e a nomeação de membro do Conselho de Administração.
 
Chuma é membro do CA e acumulava com a de Administrador-Delegado. Com as contravenções detectadas pelo banco foi interditado de exercer em Moçambique por 6 anos. Ele só pode ir-se embora daqui. Curiosamente, a multa que lhe foi aplicada é inferior àquela que foi infligida ao seu antigo Director de Corporate, Carlos Madeira.
 
Antevejo que a pessoa na calha para ocupar o lugar de Chuma no CA é Gomezgani Neba, o actual Administrador Delegado Interino, que era CFO antes da crise. De acordo com a agenda, não haverá outras mexidas nos órgãos sociais do banco. Ou seja, Tomás Salomão mantém-se de pedra e cal como PCA, embora sob fundações movediças. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.