O investimento inclui a dragagem de sedimentos do canal realizado pela Empresa Moçambicana de Dragagem (EMODRAGA).A infra-estrutura portuária, com capacidade para manusear cerca de 650 mil toneladas por ano, possui um cais com 230 metros de comprimento e ocupa uma área de 48.000 metros quadrados, dos quais área 31.000 metros quadrados de área de armazenamento aberta e 5.417 metros quadrados coberta.O trajecto para o porto de Quelimane, a partir da barra, é feito por um canal perfeitamente balizado e permite a navegação na plenitude devido ao sistema de iluminação instalado ao longo do percurso.O facto foi anunciado pelo Presidente do Conselho de Administração dos CFM, Miguel Matabele, em conferência havida esta quinta-feira para a promoção e dinamização daquela infra-estrutura.A reabertura do Porto de Quelimane resulta da mais recente dragagem, financiada pelos CFM.Dirigindo-se aos empresários da Zambézia, Matabele disse ser crucial conferir uma maior robustez a esta infra-estrutura ferro-portuária através de um incremento de volumes de cargas para torná-la cada vez mais atraente e competitiva.Recomendou o Conselho Empresarial Provincial para arrolar todas projecções dos volumes de cargas disponíveis para uma triagem técnica para a fixação de uma tarifa mais acessível.O PCA sensibilizou aos agentes de navegação e aos demais intervenientes para estreitar parcerias com suas congéneres sobre as condições disponíveis para receber navios de carga geral, tanques (cisterna) e batelões com a capacidade até 20 mil toneladas e 150 metros de comprimento.

Fonte: Folha de Maputo

Leave a Reply

Your email address will not be published.