Mineiros estão a bloquear mais de 400 colegas no interior de uma mina de ouro na África do Sul, no meio de tensões entre grupos e após o assassinato, esta semana, do investigador de um incidente anterior.

O bloqueio de 447 mineiros no subsolo ocorre desde o fim do turno da noite de quinta-feira, na mina de ouro de Springs, a leste de Joanesburgo, onde, em Outubro, ocorreu um incidente semelhante, com mais de 500 mineiros a terem sido impedidos de sair da mina durante quase três dias.

about:blank O responsável por questões jurídicas da mina, Ziyaad Hassam, denunciou uma “tomada de reféns”, explicando que o actual protesto ocorre depois do assassinato, esta semana, de um homem que investigava o bloqueio de Outubro.

De acordo com a polícia, citada pela imprensa local, o homem, de 55 anos, foi baleado e morto dentro do seu carro na terça-feira.

A empresa admite que haja uma ligação do actual protesto com o assassinato do investigador e as medidas disciplinares tomadas após a mobilização de Outubro, que levou à demissão de 50 funcionários.

O Ministério de Minas manifestou preocupação com o recente aumento de protestos não autorizados e organizados de forma clandestina em minas do país.

“Isso representa sérios riscos em termos de saúde e segurança”, disse à AFP o porta-voz do ministério, Makhosonke Buthelezi.

O sector mineiro emprega centenas de milhares de pessoas na África do Sul, país vizinho de Moçambique, rico em ouro, diamantes, carvão e outros minerais, e é o maior exportador mundial de platina. (RM-NM)

Fonte:Rádio Moçambique Online

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *