As eleições para o novo timoneiro da Itália estão previstas para 24 de Janeiro do ano em curso, entretanto, estas, estão ameaçadas devido ao aumento de casos e internamentos de deputados, motivados pela COVID-19.

O facto é que naquele país europeu a eleição do Presidente é feita pelo Parlamento que, neste momento, tem parte dos seus integrantes infectados e outros internados devido ao vírus pandémico.

Devido a essa situação, alguns partidos da direita alertaram ao órgão sobre a possibilidade de o número de infectados ou de internados aumentar nos próximos dias, daí que pedem excepção permissionária para que os membros do parlamento inibidos de participar devido à COVID-19 possam votar.

Os partidos da direita pediram ainda aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado italiano para que adoptem todas as iniciativas necessárias para garantir o exercício do direito constitucional ao voto dos 1.009 parlamentares eleitores.

Em resposta ao pedido dos partidos, o presidente da Câmara dos Deputados, Roberto Fico, citado pela Lusa, disse que a questão não dependia de si, mas que carece de directiva do Ministério da Saúde ou da votação de uma emenda “sobre esse propósito” por parte do parlamento.

Segundo escreve a Lusa, havia há alguns dias 40 deputados e 12 senadores em isolamento, números que podem aumentar até chegar a “cem ou mais ausências forçadas” no final do mês, atendendo ao aumento de casos de COVID-19 em Itália.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.