A Província de Cabo Delgado está a contratar, para o presente ano lectivo, cujas aulas arrancam em finais deste mês, 532 professores em todos os subsistemas de ensino.

Porém, o número atribuído pelo ministério a esta parcela do país não cobre as necessidades da província, estimadas em 700 docentes.

 

O Chefe de Departamento da Direcção Pedagógica na Direcção Provincial de Educação em Cabo Delgado, Rachide Sualeh, disse que os 532 professores vão minimizar a pressão que a província enfrenta em relação aos docentes.

 

Rachide Sualeh fez saber que em 304 escolas será introduzida a 6ª classe. Seis (6) novas escolas primárias vão entrar em funcionamento pela primeira vez e oito (8) vão introduzir o primeiro e segundo ciclos do ensino secundário.

 

Números atribuídos aos distritos afectados pelo terrorismo

 

Os distritos de Macomia, Meluco, Ibo, Nangade, Mocímboa da Praia, Palma, Muidumbe e Quissanga, apesar da promessa do governo de que a população irá retornar, à semelhança do ano passado, têm baixos números de professores a contratar.

 

Um documento assinado a 04 de Janeiro pelo Director Provincial da Educação em Cabo Delgado, Ivaldo Quincardete e enviado às Direcções Distritais, indica que todos os distritos vão contratar apenas 111 professores dos 532 a serem contratados este ano em todos os níveis de ensino.

 

Estes professores distribuem-se em Macomia-15, Mocímboa da Praia-sete, Palma-sete, Nangade-nove, Quissanga-15 e Muidumbe-37, Ibo-17 e Meluco-19 docentes. Outrossim, os distritos que acolhem maior número de deslocados como Metuge, Montepuez e Ancuabe vão contratar 27, 45 e 45 respectivamente.(Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.