A Bolsa de Dívida e Valores de Angola (Bodiva) tem trocado experiências com congéneres africanas, entre as quais Cabo Verde e Moçambique, admitindo que podem vir a replicar algumas das iniciativas consideradas mais inovadoras, referiu o Presidente Executivo da instituição.

“Quer uma, quer outra, têm uma dimensão inferior à angolana, mas já começaram há mais tempo e têm mercados um bocadinho mais diversificados. Estamos a trabalhar nesse processo de partilha de conhecimento, está a ser bem interessante”, afirmou Walter Pacheco, em entrevista à agência Lusa, elogiando a “capacidade de criatividade” e o “bom ecossistema de inovação”.

“A bolsa de Cabo Verde é relativamente pequena, mas com capacidade criativa e de desenvolvimento de novos produtos”, considerou Pacheco, apontando as ‘blue bonds’ (títulos ‘azuis’, emissões de dívida para financiar projectos ligados ao mar), recentemente emitidas e cujos recursos vão ser usados para financiar pequenos pescadores.

Quanto à Bolsa de Valores de Moçambique tem outras especificidades: “É uma bolsa tão tradicional como a nossa, os produtos são tão tradicionais como os nossos, mas conseguiram desenvolver algumas soluções interessantes”.

Leia mais…

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *