Uma embarcação transportando mais de 30 pessoas está desaparecida há quase um mês no norte da província de Cabo Delgado. De acordo com as fontes, a referida embarcação partiu da Ilha de Matemo no passado dia 27 de Setembro em direcção à vila-sede de Palma, porém, até ao momento, não atracou naquela sede distrital.

 

Segundo as fontes, a embarcação transportava deslocados que se tinham refugiado naquela ilha, após os ataques terroristas registados no distrito de Palma, entre os meses de Março e Junho último. As fontes garantem tratar-se de pessoas que não conseguiram chegar à cidade de Pemba, durante o período em que milhares de cidadãos abandonaram aquele distrito devida à violência.

 

As fontes garantem que, à sua saída, os proprietários da embarcação não comunicaram às autoridades, pelo que se avança a possibilidade de terem sido detidos pelas Forças de Defesa e Segurança (FDS) por navegarem numa zona proibida. Aliás, há dias, as FDS detiveram 150 pessoas que se faziam transportar em três embarcações artesanais por suspeita de pertencer ao grupo terrorista, visto que transportavam produtos alimentares.

 

Referir que, desde a chegada das tropas estrangeiras, as FDS proibiram a navegação marítima a norte da ilha de Matemo, que se situa nas proximidades do distrito de Macomia. Isto é, os barcos são permitidos a navegar de Matemo até Pemba e vice-versa. Quem passar estas coordenadas, arrisca-se a ser confundido com os terroristas. A decisão visa limitar o abastecimento logístico, por mar, do grupo terrorista. A decisão também é extensiva aos pescadores. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.