Desempenho macroeconómico de Moçambique

O Banco Mundial prevê o regresso dos parceiros de apoio ao desenvolvimento económico de Moçambique ainda este ano. O representante-residente da instituição também acredita que a economia vai retomar aos anteriores níveis de crescimento, graças à possibilidade de fortes investimentos em vários sectores de actividade.

Assim, às vozes optimistas quanto ao bom desempenho da economia moçambicana este ano, junta-se a de Mark Lundell, director do Banco Mundial, que, sem avançar muitos detalhes nem números, revelou haver agora condições para inverter o actual quadro, marcado pela deterioração de quase todos os indicadores de desempenho macroeconómico e com forte impacto na subida do custo de vida das famílias e desempenho empresarial.

“O crescimento económico de Moçambique tem uma base forte para aumentar este ano. A situação internacional está a melhorar em vários sentidos, o investimento será forte e os investidores irão fortalecer também o seu apoio a Moçambique”, prevê o director do Banco Mundial para Moçambique.

Trata-se de uma visão que igualmente já está a ser equacionada por várias instituições nacionais e estrangeiras (incluindo o Banco de Moçambique) que estão a acompanhar o percurso da economia nacional desde o início da crise em finais de 2015.

O director do Banco Mundial acredita também na recuperação da confiança dos parceiros internacionais – que tem sido tomada como uma agenda prioritária da actualidade – que suspenderam o apoio financeiro a Moçambique há um ano, na sequência da descoberta de dívidas que o Governo não tinha revelado. Mas reitera que tal depende da auditoria internacional às dívidas, que está a ser conduzida pela Kroll.

“Podendo terminar a auditoria no fim deste mês, seria um bom passo e temos toda a confiança que assim será”, disse Lundell.

A instabilidade económica levou a que Moçambique crescesse 3.3% no ano passado, uma das taxas mais baixas das últimas duas décadas, período em que a média de crescimento rondou nos 7.5%. O nível geral de preços situa-se ainda acima de 20%. Para este ano, o Banco de Moçambique prevê que os preços médios caíam para 14%, e que o Produto Interno Bruto cresça em 5.5%.

Fonte: O Pais -Economia

Leave a Reply

Your email address will not be published.