lichinga pemba min

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) apresentou, na última terça-feira (21), em Maputo, a intenção de aprovar um financiamento adicional aos 47 milhões de USD disponibilizados a 17 de Dezembro de 2021 à Zona Especial de Processamento Agro-Industrial do Corredor de Desenvolvimento Integrado Pemba-Lichinga, um projecto transformacional, que visa melhorar a produtividade agrícola e o desenvolvimento do agro-negócio na província do Niassa.

 

A intenção foi apresentada pelo Representante do BAD em Moçambique, César Abogo, à margem de um encontro que manteve com a Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA). No evento, o BAD e a CTA debateram medidas para mitigar os impactos das crises mundiais que se avizinham, nomeadamente a crise de alimentos, de combustíveis e de financiamento bancário.

 

No que toca à crise de alimentos, a CTA e o BAD acreditam que catapultar a zona em referência seria um dos mecanismos para Moçambique minimizar o impacto que já se faz sentir, como a escassez de cereais, com destaque para o trigo.

 

Nesse contexto, “estamos considerando um financiamento adicional ao projecto do Corredor de Desenvolvimento Integrado Pemba-Lichinga. Ainda não sabemos precisamente que montante adicional será necessário, mas este encontro com a CTA que se estenderá a outras instituições visa a determinação do financiamento adicional necessário”, afirmou o representante do BAD. 

 

Para além de apoiar o agro-negócio em Moçambique, Abogo anunciou na ocasião que o BAD está financeiramente preparado para fazer face às referidas crises mundiais iminentes, tendo já aprovado 1.5 bilião de USD para todas as economias do continente africano.  

 

A reunião do BAD com a CTA justifica-se pelo facto de o Corredor de Desenvolvimento Integrado Pemba-Lichinga operar num modelo de desenvolvimento inclusivo, facto que incentiva a participação de pequenos produtores em cadeias de valor. Os 47 milhões de USD inicialmente aprovados têm em vista reforçar a capacidade institucional e o ambiente empresarial para o desenvolvimento agro-industrial, bem como apoiar a produtividade agrícola, as competências e o empreendedorismo, a fim de melhorar o desenvolvimento da cadeia de valor agrícola na província do Niassa.

 

Parte daquele financiamento foi aplicado para a construção de estradas inauguradas em Dezembro de 2021 pelo Presidente da República, nomeadamente, a Estrada Nacional Número 13 (EN13) no troço Cuamba-Muíta, no Niassa, e o troço Montepuez-Ruaça da estrada EN14 que liga as províncias de Cabo Delgado e Niassa. (Evaristo Chilingue)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.