O Ministro dos Transportes e Comunicações, Janfar Abdulai, revelou recentemente, em Bilene, província de Gaza, que, por efeitos da pandemia da Covid-19, o sector da aviação civil nacional perdeu, em 2020, mais de 5 biliões de Meticais.

 

Com a eclosão do vírus na China, em finais de 2019, os países viram-se obrigados a restringir a circulação de pessoas, principalmente por via aérea, e Moçambique não foi excepção. Como consequência dessas medidas, muitas companhias internacionais pararam de voar para o país. O tráfego dos operadores nacionais também caiu drasticamente. E, volvidos quase dois anos da crise pandémica, o Ministro dos Transportes e Comunicações relata que o efeito é avaliado em mais de 5 biliões de Meticais.

 

“A aviação civil afigura-se como o ramo dos transportes onde o impacto da pandemia foi bastante severo, com perdas financeiras dos operadores e provedores dos serviços domésticos superiores a 5 mil milhões de Meticais no exercício económico de 2020”, afirmou Adulai, citado pelo jornal Notícias.

 

Falando durante o encerramento do 39º Conselho Coordenador da instituição, Abdulai disse, entretanto, que o sector da aviação civil tende nos últimos dias a reerguer-se. De facto, com a abertura da economia nacional, as companhias internacionais tendem igualmente a retomar voos para Moçambique.

 

O destaque vai para o recente anúncio de retoma de voos da companhia Linhas Aéreas Sul-africana (SAA), que pretende inicialmente interligar Joanesburgo e seis cidades africanas, incluindo Maputo. A companhia francesa, Air France, manifestou, igualmente no último mês, efectuar dois voos semanais entre Paris e Maputo.

 

Entretanto, para o devido acompanhamento dessa recuperação do sector, o Ministro desafiou o Instituto Nacional de Aviação Civil (IACM) a liderar políticas para estimular e induzir confiança no mercado. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.