Um comunicado de imprensa enviado à folha de Maputo, indica que a operação, que decorreu com o apoio da Polícia da República, ao nível local, visava, entre os objectivos, a fiscalização de viaturas nacionais e estrangeiras que circulam sem que os seus proprietários tenham cumprido com os preceitos legais na sua importação.Para a apreensão das viaturas ora referidas, apontam-se como causas a violação do regulamento de importação temporária, condução por terceiros não autorizados, entre outras infracções aduaneiras.Com a apreensão destas viaturas, estima-se recuperar para os cofres do Estado cerca de 7 milhões de meticais, de direitos e demais imposições aduaneiras.Em outras acções de fiscalização, a AT, em Nacala, apreendeu, no ano passado, diversas mercadorias, com destaque para 73 viaturas, aparelhos de ar condicionados e madeira. Se, por um lado, a tentativa de exportação fraudulenta, com recurso a falsas declarações, pesou para a apreensão da madeira, por outro, a subfacturação, viciação de chassis, clonagem ou duplicação de matrículas são as razões apontadas para a apreensão das viaturas retro mencionadas. No caso destas mercadorias, o valor global aduaneiro é de cerca de 70 milhões de meticais e espera-se encaixar para os cofres do Estado pouco mais de 34 milhões de meticais, dos quais já foram cobrados 11.4 milhões.

Fonte: Folha de Maputo

Leave a Reply

Your email address will not be published.