Arranca ciclo de gestão cultural e marketing em Cabo Delgado

Iniciou, esta terça-feira, até 5 de Dezembro, na cidade de Pemba e distrito de Mecufi, em Cabo Delgado, o Ciclo de Gestão Cultural & Marketing, organizado pelo Ministério da Cultura e Turismo, com financiamento da Embaixada do Reino da Espanha e Cooperação Espanhola.

O ciclo vai decorrer em simultâneo na Ilha de Moçambique, em Nampula, concretamente nos dias 3 e 4 de Dezembro.

A série de capacitações em Gestão Cultural & Marketing acontece em cumprimento do Plano Económico e Social – 2020 e é dirigida a autores, artistas, gestores, técnicos e promotores, e visa dotar os formandos de melhores competências técnicas e metodológicas inovadoras na área cultural e cidadania a partir de um permanente diálogo entre teoria e prática.

A gestão incluida neste ciclo pretende dar resposta às necessidades decorrentes de um novo cenário cultural que se assiste nos últimos anos, como a necessidade por parte das instituições de ter profissionais qualificados e actualizados, bem como atender aos novos desafios colocados aos profissionais da cultura em virtude das inovações comunicacionais e tecnológicas.

Pretende-se também que o profissional seja capaz de reflectir sobre a actual situação do sector cultural em Moçambique e sobre que desafios se colocam hoje a um profissional no domínio da gestão e manutenção dos equipamentos culturais.

A intenção é que o mesmo seja capaz de conceber, organizar e produzir eventos e projectos culturais e criativos; elaborar planos directores culturais para instituições e equipamentos culturais; e desenvolver competências necessárias para uma formação avançada e prestação de consultoria nas áreas da programação
cultural e gestão de projectos culturais, desenvolvimento de um projecto integrado de comunicação na área da cultura.

Em Pemba e Mecufi, Cabo Delgado, o
Ciclo de Gestão Cultural & Marketing será
orientado por Raquel Carrilho e por Eugénio Santana, que também é coordenador. Na Ilha de Moçambique, em Nampula, será orientado pelo Director Nacional das Indústrias Culturais e Criativas – DNICC, Emanuel Dionísio.

No fim da formação, espera-se que os beneficiários possam ter maior capacidade de pesquisar, analisar, conceptualizar, executar, promover e monitorar um projecto. (RM)

Fonte:Rádio Moçambique Online

Leave a Reply

Your email address will not be published.