A Assembleia da República (AR) está preocupada com o drama em que vivem os deslocados nos centros de reassentamento abertos em Cabo Delgado, onde milhares de famílias estão a sofrer devido à fraca capacidade do Governo em prestar assistência humanitária desejada.

A preocupação foi levantada pela Comissão do Plano e Orçamento, depois da visita efectuada a dois distritos da província que acolhem os sobreviventes dos ataques terroristas.

“Visitámos os distritos de Metuge e Chiúre e constatámos que os deslocados continuam a enfrentar grandes dificuldades, apesar do trabalho de assistência prestada pelo Governo e organizações humanitárias, revelou Abdul Issufo, porta-voz da Comissão do Plano e Orçamento da AR, sem especificar as constatações levantadas no terreno.

Entretanto, para minimizar o sofrimento das vítimas do terrorismo, a Assembleia da República apela ao Governo para alocar fundos à província de Cabo Delgado e reforçar o orçamento dos distritos que acolhem os deslocados.

“O Governo da província de Cabo Delgado precisa de um reforço ao seu orçamento para melhorar a assistência humanitária aos deslocados e começar a reconstruir as infra-estruturas nas zonas já libertadas, de modo a garantir que a população volte às suas de origem, onde poderão deixar de depender de ajuda, como acontece actualmente”, propôs Abdul Issufo.

Comida, roupa, habitação, água potável, cuidados de saúde e educação são as sete necessidades básicas dos sobreviventes dos ataques terroristas, que vivem nas zonas consideradas seguras, na província de Cabo Delgado.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.