Os dois países africanos, Angola e Moçambique, são dos três países com mais incêndios na região da África Austral. Segundo especialistas, embora o fogo tenha benefícios, o aumento da intensidade e da frequência tem consequências para a biodiversidade e as alterações climáticas.

De acordo com José Miguel Pereira, investigador do Instituto Superior de Agronomia (ISA) da Universidade Nova de Lisboa, citado pela Lusa, o facto destes dois países, incluindo a Zâmbia terem maior actividade de fogo na África Austral tem muito a ver com a sua localização geográfica.

Em entrevista à Lusa, o investigador do Instituto Superior de Agronomia (ISA) da Universidade Nova de Lisboa José Miguel Pereira explicou que o facto de Angola, Moçambique e a Zâmbia serem os três países da região com mais atividade de fogos tem a ver com a localização destes países no globo.

“Ocupam uma faixa de latitude no hemisfério sul de África onde estão reunidas condições de meteorologia e de vegetação e de actividade humana propícias a um crescimento rápido da vegetação”, explicou o investigador, acrescentando que, naquela zona, a vegetação cresce muito na época das chuvas, acumulando combustível, e depois “arde extensivamente na parte seca do ano”.

Segundo escreve a Lusa, um estudo realizado pelo investigador, o fogo no continente tem um ciclo semanal e aos dias de descanso, o que prova que resulta da actividade humana.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.